Anterior


O Primeiro Sermão do Espírito Santo

09/03/2018

Anterior

Próxima


APOIO MARÇO 11

09/03/2018

Próxima
09/03/2018
O Início da Igreja

O Início da Igreja
Por: Pastor Joel Siqueira

Esta é a minha bíblia, a palavra de Deus, o alimento da minha fé, a lâmpada para os meus pés, a luz para o meu caminho, o martelo que me quebra, o fogo que me queima. Eu abro o meu coração para receber e praticar suas verdades sagradas. E que Deus me ajude.

Sermão 1268CON, Arquivo: At2,41ª47CON1268

Atos 2:41-47 – O Início da Igreja.

Pregado em:

1)   PIB de Osvaldo Cruz em 11/03/18 dom 18h00

2)   .........................................................................................

 

Introdução:

Vimos semana passada o primeiro sermão do Espírito Santo ministrado por Pedro na Festa de Pentecostes que gerou 3 mil almas pra Cristo. Veremos agora a cena a seguir que é o primeiro passo na caminhada da igreja recém-inaugurada. O Início da Igreja.

41 Muitos acreditaram na mensagem de Pedro e foram batizados. Naquele dia quase três mil se juntaram ao grupo dos seguidores de Jesus.

Acreditaram > aceitaram > receberam 2x >

Juntaram > acréscimo > agregaram-se > admitidas...

3 mil pessoas com uns 10 minutos de pregação e um tempo de testemunho e explicações (v. 40). Foram batizados, unidos à igreja e cuidados. Como?

·      Temos aqui decididos de pelo menos umas 14 regiões diferentes, pois a festa de pentecostes atraía judeus de vários lugares.

Em Israel haviam muitos lugares para seus banhos rituais (fotos) e não era difícil batizar tanta gente por imersão.

·      Muitos destes convertidos voltaram para sua região onde moravam e levaram a semente do evangelho em seus corações já preparando outros lugares para a chegada de missionários, sendo eles mesmos os primeiros. O evangelho é missionário desde o primeiro sermão do Espirito Santo.

·      Os que moravam em Jerusalém começaram a se reunir para serem doutrinados pelos apóstolos como vemos no verso a seguir. Provavelmente alguns peregrinos ficaram mais um tempo com os apóstolos para serem doutrinados.

42 E todos continuavam firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações.

Eles experimentaram firmeza na comunidade dos crentes. Por que?

Recebiam a doutrina dos apóstolos. Como não havia literatura religiosa, revistas e bíblias impressas, os novos crentes se ligavam a uma célula e regularmente iam ouvir os ensinos de Cristo. Mesmo após um dia estafante de trabalho no campo, lá estavam os crentes se reunindo em alguma casa.

Hoje não temos visto muita firmeza dos crentes. Por que? Falta disposição de ouvir os ensinos de Cristo. Nós temos disposição de tantos afazeres semanais... nossa rotina é estressante e, afinal de contas, não podemos deixar de chegar em casa, comer uma refeição, sentar no sofá e ver televisão para receber o alimento de cada dia, notícias tremendas de edificação ou de desconstrução de vidas, novelas que não ensinam a sermos fiéis ao nosso casamento, a amarmos nossos filhos e a cuidarmos uns dos outros.

Em Israel, numa noite após chegada ao hotel. Tomávamos banho, jantávamos e íamos dormir. Ligando a TV para ver esportes (tudo em hebraico), mudando de canal deparei-me com a língua portuguesa, quando percebi estava vendo uma novela brasileira com legenda em hebraico. E ali em Israel a novela exaltando a traição, a vingança, e as coisas que lhe são marcas aqui no Brasil. Israel já está sendo contaminado pelas novelas brasileiras.

 

Ilustrando. Meu netinho aprendeu a falar um “Não” estranho. Outro dia vi um desenho no celular e percebi de onde veio o “não” estranho.

 

(FOTO) Lutando contra a concorrência televisiva, a força poderosa da mídia, a CBB está lançando um gibi que trabalha a ideologia de gênero conforme a bíblia e os bons costumes e não na visão desta sem-vergonhice que nosso mundo está abraçando.

 

Percebemos ainda no verso 42 que não somente eles se reuniam para aprender os ensinos de Cristo como também partiam para a prática:

O amor cristão > Aqui temos a “comunhão primitiva”, algo de que todos participavam, seja a ceia do senhor, seja as experiências espirituais da igreja, seja fazer refeições juntos que, para o judeu, era sempre algo sagrado. Ela envolveu recursos financeiros, eles se doaram e doaram bens. Não se tem amor sem abrir mão do que se tem porque amor é dar-se e é dar. Disse Jesus sobre isto:

Atos 20:35  Em tudo tenho mostrado a vocês que é trabalhando assim que podemos ajudar os necessitados. Lembrem das palavras do Senhor Jesus: “É mais feliz quem dá do que quem recebe.”

 

Vejamos o verso 44 e 45...

44 Todos os que criam estavam juntos e unidos e repartiam uns com os outros o que tinham.

45 Vendiam as suas propriedades e outras coisas e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um.

 

Além da comunhão o verso 42 ainda mostra que os crentes:

Partir o pão juntos > Eram companheiros, ou seja, aqueles que compartilhavam o pão, sentavam na mesma roda, no mesmo grupo, na mesma casa ou célula, e comiam juntos. Alguns preferem a roda dos escarnecedores como diz o salmo 1.

Salmo 1: 1 (RA) Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

 

Fazendo orações (juntos) > Perceberam desde cedo que a prática da oração era uma questão de vida da comunidade, dos crentes, o que os unia e lhes dava forças para enfrentar as perseguições que não demorariam a iniciar. Um exemplo foi a prisão de Pedro.

Atos 12:5 E assim Pedro estava preso e era vigiado pelos guardas; mas a igreja continuava a orar com fervor por ele.

 

43 Os apóstolos faziam muitos milagres e maravilhas, e por isso todas as pessoas estavam cheias de temor.

Vimos no sermão passado que os sinais acompanhavam o testemunho dos crentes. Vemos aqui que estes mesmos sinais geram temor na comunidade cristã. Parece que acontece o mesmo quando no início da formação do povo de Israel no Velho Testamento que, com sinais milagrosos, saiu do Egito, caminhou pelo deserto e tomou posse da Terra Prometida. Agora temos sinais no início da formação da igreja de Jesus no Novo Testamento, que sai da perdição sem Cristo, entra na salvação de Cristo e caminha para tomar posse da nova Terra Prometida, que não é mais Canaã, mas é todo o mundo.

Com uma vida de ensino cristão, da prática de amor, andar juntos e orar muito não se podia esperar outra coisa senão a ação poderosa de Deus na vida da igreja. Milagres começam a acontecer e o temor aquece a vida dos crentes. Hoje o que vemos é a falta de temor dos crentes:

Falta de temor na fidelidade a Deus.

Falta de temor no culto a Deus.

Falta de temor no dia a dia do trabalho.

Rodou nos wps´s de nossos celulares um pequeno vídeo de um pastor falando na Igreja da Lagoinha pedindo perdão aos não crentes pela falta de temor dos crentes.

Vamos voltar a temer a Deus... cultuando com alegria e respeito... dedicando-lhe nossas contribuições com regularidade... assumindo um mínimo de compromisso com a célula semanalmente e um mínimo de compromisso com os cultos dominicais... ECAD etc

 

46 Todos os dias, unidos, se reuniam no pátio do Templo. E nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade.

 

Começaram desde cedo duas reuniões claras, bem específicas, no templo (pátio) e nas casas. No pátio do templo eles testemunhavam de Jesus e ainda assistiam a religiosidade judaica realizada no local, sacrifícios, orações, bênçãos do sacerdote etc. e nas casas recebiam o doutrinamento dos apóstolos que circulavam de casa em casa e mantinham a chama acesa da comunhão, do companheirismo, do comer juntos... Em cada casa se estabeleceu um responsável, um líder presbítero para cuidar do grupo na ausência dos apóstolos.

A chama da fé era aquecida no templo e nas casas. No templo os grandes ajuntamentos davam um ar de união maior e mantinham o testemunho com os perdidos e nas casas havia a intimidade onde os pecados são tratados, os desafios de cuidado uns dos outros são verificados, os problemas são revelados e a presença de Cristo se manifesta de um modo especial, sem música profissional, sem sacerdotes que oficiam uma cerimônia elaborada... nas casas a simplicidade de Cristo acontece com dois ou três reunidos... No templo precisamos gritar para sermos ouvidos e nas casas basta uma palavra clara, simples, que tantas vezes toca os corações...

As reuniões nos templos e nas casas eram o carro chefe da igreja, por isso era constante, todos os dias. Hoje não temos mais este carro chefe, mesmo porque, qualquer festinha tira a gente do templo e da célula, qualquer atraso... qualquer dorzinha... qualquer cansaço do dia de trabalho...

Precisamos voltar a ver a igreja que fomos no início e que ainda podemos ser hoje, no final dos tempos.

 

47 Louvavam a Deus por tudo e eram estimados por todos. E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas.

 

O olhar da igreja era sempre para Deus e o viam como Senhor presente, atuante, mesmo nas horas da dificuldade. Deus era sempre louvado nestes detalhes registrados até aqui. Esta vida entusiasmada, cheia de Deus, atraía atenção dos não crentes e os aproximava da igreja, eles se convertiam, isso não parava de acontecer a cada dia.

A igreja focava em Deus, focava em ser crente, amava as pessoas e uns aos outros e criava um ambiente apropriado que atraía os perdidos. Jesus ensinou sobre isso de modo bem claro:

João 13:35 (NTLH)  Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos.

 

O início da Igreja

Fechamento (Islaide)

Onde você está nesta obra maravilhosa?

 

 

 

 










visite nossa igreja

Rua Adelaide Badajós 77
Rio de Janeiro - RJ - 21351-390
Tel: (21) 3350 8048 ou 2458 9335

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.